18 de junho de 2010

Sulafricanos protestam contra os assassinatos do estado de Israel

O ataque de Israel a frota de navios que levaria ajuda humanitária à Faixa de Gaza fez alguns torcedores tirarem o foco do futebol no país da Copa do Mundo. Dezenas de pessoas se reuniram na porta da Catedral St. George, na Cidade do Cabo, nesta terça-feira, para protestar contra o ato dos israelenses.
A manifestação na movimentada rua Wale Street atraiu curiosos e novos adeptos à causa.
Com velas e cartazes nas mãos, o australiano Jeff Bradley, que está na África do Sul para acompanhar a Copa, se juntou ao grupo logo que percebeu do que se tratava. "Acho importante este tipo de protesto. É uma boa oportunidade para isso, já que o mundo inteiro está de olho no país que receberá o Mundial. O alcance é maior e os cidadãos prestam mais atenção no combate à violência", afirmou o torcedor. Um grupo de cinco argentinos, todos com a camisa da seleção do técnico Maradona, passou pelo local e também demonstrou apoio. "A Argentina está com vocês", gritou um deles.
Os nativos aprovaram a adesão dos visitantes. "Quanto mais encorparmos a manifestação, mais indignação mostraremos em relação ao que aconteceu. Espero que a África do Sul corte relações com Israel. O resto do mundo tem que nos acompanhar", bradou Raoul Swart, morador da Cidade do Cabo.
O protesto aconteceu logo atrás da St. George Street, rua que é decorada com as bandeiras dos 32 países participantes da Copa do Mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário