30 de setembro de 2010

Tentativa de Golpe de direita no Equador

Tenho acompanhado pelo Twitter e pela Rede de Tv Telesur uma tentativa de derrubar o governo de Rafael Correa no Equador. Ao que tudo indica a idéia era derrubar o governo nos moldes do que foi feito em Honduras e foi tentado na Venezuela. 


Leia:

Nota Oficial do governo do Brasil: CLIQUE AQUI
Brasil de Fato - CLIQUE AQUI
Oposição e aliados no Equador defendem dissolução do congresso e novas eleições: CLIQUE AQUI
Chávez alerta Alba e Unasul sobre tentativa de golpe no Equador: CLIQUE AQUI
Cuba rechaça tentativa de "golpe" no Equador e pede condenação pelos EUA: CLIQUE AQUI
Golpe Militar no Equador - AGORA - CLIQUE AQUI
ECUADOR: Intento de Golpe de Estado en marcha: CLIQUE AQUI


II Semana de História da UNIFESP

29 de setembro de 2010

DEBATE ELEIÇÕES 2010 na UNIFESP

Qual o papel da esquerda no processo eleitoral brasileiro?
Um contraponto à hegemonia burguesa.

Dia 30/09 às 18h,
NA SALA 5
UNIFESP - Campus Guarulhos


Confirmados: PCB, PSOL, MNN, Liga Operária
Convidados: PT, PCO, PSTU, Práxis

28 de setembro de 2010

Outubro Independente em São Paulo

Chegou a hora do Outubro Independente! Começa nesta sexta-feira, dia 1º, o grande festival de arte independente na cidade de São Paulo. Com música, cinema, literatura e outras formas de expressões, o evento será aberto com uma grande festa.
A partir das 19h até às 5h da manhã no dia seguinte, o espaço bem em frente a Galeria Olido vai receber várias atrações como projeções com celulares, sets de DJs de várias partes do mundo, performances, live paiting, sound system e intervenções sonoras.
Essa festa é uma parceria do Outubro Independente com o coletivo Voodoohop e terá a presença dos DJs Shir Khan e Berlin Battery, da Alemanha, além de Camilo Rocha, Pomba, Dolores, Tomash, Souksouklow, da França, entre muitos outros, pra todo mundo dançar mesmo.
O grupo alemão Kissogram também se apresenta na festança, acompanhado de projeções do Código 11 Projeções (Sms Pixação + Sound Visualization) e intervenções sonoras do Barulho.org, tudo isso durante a madrugada.
Assim como na Virada Cultural (vídeo), um prédio será usado para intervenções visuais e também as apresentações dos DJs e outros artistas. “Uma proposta da Voodoohop e de tentar trazer atrações incomuns, artistas de fora, sons diferentes para o publico em São Paulo, sem distinção alguma, além de tentar trazer uma vida para o Centro da cidade”, conta Thomas Haferlach, um dos organizadores da Voodoo.
E o mais legal: qualquer pessoa pode participar da festa, seja na decoração da rua, performance ao vivo, arte visual improvisada, live painting, projeção, teatro, dança... Basta enviar um email para colabore@voodoohop.com Este endereço de e-mail está sendo protegido de spam, você precisa de Javascript habilitado para vê-lo com a sua proposta que a equipe da Voodoohop entrará em contato.
É o Outubro Independente começando em grande estilo! Não perca nada do festival!

24 de setembro de 2010

Especial: Bertolt Brecht - Textos -

Preparei uma relação especial de alguns textos que gosto muito do teatrologo revolucionário alemão Bertolt Brecht e que recomendo a leitura, são 4 textos: Os que lutam, O Analfabeto Político, Perguntas De Um Operário Que Lê e Elogio da Dialética, boa leitura...




Os que lutam

"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;
 Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
 Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida;
 esses são os imprescindíveis."

O Analfabeto Político


"O pior analfabeto é o analfabeto político.
Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão,
do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.
O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia
a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta,
o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista,
pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo."
Nada é impossível de Mudar
"Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de
hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem
sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural
nada deve parecer impossível de mudar."
Privatizado
"Privatizaram sua vida, seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar.
É da empresa privada o seu passo em frente,
seu pão e seu salário. E agora não contente querem
privatizar o conhecimento, a sabedoria,
o pensamento, que só à humanidade pertence."


Perguntas De Um Operário Que Lê.


Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilònia, tantas vezes destruida,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
No dia em que ficou pronta a Muralha da China para onde
Foram os seus pedreiros? A grande Roma
Está cheia de arcos de triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem
Triunfaram os Césares? A tão cantada Bizâncio
Sò tinha palácios
Para os seus habitantes? Até a legendária Atlântida
Na noite em que o mar a engoliu
Viu afogados gritar por seus escravos.

O jovem Alexandre conquistou as Indias
Sòzinho?
César venceu os gauleses.
Nem sequer tinha um cozinheiro ao seu serviço?
Quando a sua armada se afundou Filipe de Espanha
Chorou. E ninguém mais?
Frederico II ganhou a guerra dos sete anos
Quem mais a ganhou?

Em cada

página uma vitòria.
Quem cozinhava os festins?
Em cada década um grande homem.
Quem pagava as despesas?

Tantas histórias
Quantas perguntas



Elogio da Dialética


A injustiça passeia pelas ruas com passos seguros.
Os dominadores se estabelecem por dez mil anos.
Só a força os garante.
Tudo ficará como está.
Nenhuma voz se levanta além da voz dos dominadores.
No mercado da exploração se diz em voz alta:
Agora acaba de começar:
E entre os oprimidos muitos dizem:
Não se realizará jamais o que queremos!
O que ainda vive não diga: jamais!
O seguro não é seguro. Como está não ficará.
Quando os dominadores falarem
falarão também os dominados.
Quem se atreve a dizer: jamais?
De quem depende a continuação desse domínio?
De quem depende a sua destruição?
Igualmente de nós.
Os caídos que se levantem!
Os que estão perdidos que lutem!
Quem reconhece a situação como pode calar-se?
Os vencidos de agora serão os vencedores de amanhã.
E o "hoje" nascerá do "jamais".

Ciclo de palestras Índia - Miséria opressão e resistência popular

 Convite para a palestra da Professora Radha D'Souza, sobre o tema:
Três atores, duas geografias e uma filosofia: 
a camisa de força dos movimentos sociais na Índia, contamos com a presença de todos.
Saudações;
Coordenação Provisória da Liga Sampa

O CEBRASPO e o Programa de Pós graduação em História da UFF convidam
para o Ciclo de conferências sobre a Índia no Brasil:




Três atores, duas geografias e uma filosofia:


a camisa de força dos movimentos sociais na Índia

Professora Radha D'Souza

A professora indiana Radha D'Souza é formada em Direito pela Universidade de Bombaim, Índia, e Phd em Direito e Geografia pela Universidade Auckland, Nova Zelândia. É professora titular na Universidade de Westminster, Londres. Radha D'Souza também é escritora e ativista dos direitos dos povos na Índia.

São Paulo

<><>
Universidade de São Paulo (USP)
Data: 05/10 (terça-feira)
Local: Auditório do Departamento de História da USP
Horário: 18:30 h
Endereço: Rua do Lago, 717 – USP - Cidade Universitária


Rio de Janeiro

<><>
Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
Universidade Federal Fluminense (UFF)
Data: 06/10 (quarta-feira)
Local: Auditório 1113 (Faculdade de Educação, Pavilhão João Lira Filho)
Horário: 18:30 h
Data: 07/10 (quinta-feira)
Local: Auditório do IFCH (Prédio da História, Bloco O, sala 209)
Horário: 18:30 h
Endereço: Rua São Francisco Xavier, 524 – Maracanã – Rio de Janeiro
Endereço: Campus do Gragoatá, São Domingos – Niterói / RJ

Resumo do trabalho:

Este trabalho argumenta que uma das razões para a crise intelectual na “Esquerda”, desde o surgimento da “globalização” é a sua incapacidade de desenvolver os recursos conceituais para avançar idéias sobre a emancipação humana, libertação e auto-determinação, a fim de re-imaginar novas formas de ordem social e transformações sociais revolucionárias. Os cálculos da expropriação sob a "globalização", normalmente nomeiam, culpam e envergonham três atores: empresas, Estados e organizações internacionais. Há ambivalência, no entanto, sobre as geografias da expropriação. Estas construções de blocos conceituais utilizados para fazer a crítica à "globalização" e a estrutura de pensamento que esta produz, capítulo baseado em movimentos sociais na Índia, em especial os Movimentos Justiça Global e os movimentos dos povos indígenas para desenvolver os argumentos acima. Os argumentos têm maior alcance para nações oprimidas em outras partes do Terceiro Mundo. O alcance global e a influência dos intelectuais, na trilha dos “movimentos de justiça global", por um lado, e o aumento das
desigualdades sociais e tensões na sociedade indiana, por outro, exigem um estudo mais aprofundado da adequação dos conceitos, teorias e ideologias, para atender aos desafios que o povo enfrenta. Os capítulos avaliam as idéias produzidas pelos movimentos anti-globalização e defende que o que está em jogo são meta-conceitos como nação, sociedade e mudança social estrutural.


Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos

As feridas abertas do Oriente Médio

Há 28 anos, extrema-direita cristã libanesa e Israel assassinavam centenas de palestinos nos campos de Sabra e Chatila.

Dafne Melo
da Redação (Brasil de Fato)

Capa da Revista TIME
Na noite do dia 16 de setembro de 1982, refugiados palestinos dos campos de Sabra e Chatila, localizados na capital libanesa, Beirute, se surpreenderam com a iluminação de sinalizadores de fogo disparados no céu, clareando a noite. Foi uma das primeiras movimentações israelenses para garantir a entrada das forças falangistas (extrema-direita cristã libanesa) nos campos de refugiados. Cercando o local com tanques, controlando a entrada e a saída e iluminando o caminho, Israel dá início a 62 horas de terror contra civis palestinos, causando no mínimo 2 mil mortes, a esmagadora maioria de idosos, crianças e mulheres.

Conhecido como Massacre de Sabra e Chatila, o episódio é considerado um dos mais sangrentos do Oriente Médio nas últimas décadas. “Conversei com uma mulher que perdeu 15 homens da sua família, entre filhos, marido, sobrinho e irmãos. São pessoas que perderam tudo. Perderam a pátria, as terras, a cidadania, o pertencimento a algum lugar. São pessoas que convivem diariamente com a morte, mas que apesar de tudo ainda têm esperança de voltar à Palestina”, afirma a jornalista brasileira, de origem libanesa, Lúcia Issa, que visitou Chatila em maio deste ano e prepara um livro sobre Chatila, com foco nas mulheres.

Ainda que poucas, devido ao boicote israelense na época, as imagens existentes do Massacre, entre vídeos e fotografias, mostram o desespero dos sobreviventes e centenas de corpos empilhados ou enfileirados em ruas estreitas de terra, cercadas por casas simples. O cenário, hoje, pouco mudou. Os cerca de 13 mil refugiados que vivem em Chatila, além do passado de violência, convivem com um presente de miséria e abandono. “O que eu descobri lá é que o que eles pedem é o direito de existir. Os palestinos no Líbano vivem nas piores condições de vida de todo Oriente Médio, inclusive pior do que aqueles que vivem na Faixa de Gaza”. Hoje, há cerca de 425 mil refugiados palestinos no Líbano, divididos em 12 campos. Sabra deixou de ser reconhecido como um campo de refugiados, convertendo-se simplesmente em um bairro pobre ao oeste de Beirute. Leia, a seguir, a entrevista com Lúcia Issa, na qual ela fala sobre o Massacre, a participação de Israel, a impunidade em relação aos culpados e as possibilidades de paz na região.

Brasil de Fato – Qual foi o contexto do Massacre?

Lúcia Issa – O Massacre de Sabra e Chatila talvez seja um dos piores genocídios da história da humanidade. Israel tinha invadido o Líbano, em represália ao assassinato de um embaixador de Israel em Londres. Eles tinham algumas hipóteses, nunca confirmadas, de que um dos palestinos envolvidos nessa morte estaria em Chatila. Dentro do contexto da guerra civil libanesa, havia um grupo da extrema-direita cristã, os falangistas, e Israel faz um acordo com eles para invadir os dois campos de refugiados. Na verdade, Sabra, que não é mais um campo, é hoje um dos bairros mais pobres de Beirute. O agravante é que pouco tempo antes, um enviado dos Estados Unidos, Philip Habib, fez com que Israel e Palestina assinassem um cessar-fogo. No acordo, eles aceitaram retirar todos os membros da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) de Beirute, capital libanesa. Ou seja, a população assassinada era civil, a maioria formada por idosos, mulheres e crianças. Por isso que o que ocorreu ali foi um “massacre”; o que havia ali eram pessoas completamente indefesas. Na época, Ariel Sharon, que era ministro da defesa de Israel, não cumpriu com sua parte do acordo e permitiu que a Falange cristã entrasse no campo. Os israelenses permaneceram nos arredores, controlando entrada e saída, inclusive impedindo que mulheres grávidas e com crianças saíssem. Os responsáveis nunca foram punidos. O Ariel Sharon chegou a ser condenado pelas Nações Unidas, no final dos anos 1990, mas nunca pagou nenhuma pena.

Israel tentou por muito tempo jogar toda a responsabilidade nos falangistas. Hoje está claro que Israel foi, no mínimo, coautor do Massacre, certo?

Com certeza, no mínimo, foi coautor.

[Clique aqui para ler a matéria completa no Brasil de Fato]

23 de setembro de 2010

Reblogando: PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS

Por Helena Ortiz do Blog "Integrada e Marginal"

Como não voltar ao assunto que mais se destaca nos jornais? Não estou falando de eleições, mas da guerra às drogas. As eleições passam, a causa da legalização fica.

Pois bem, não posso deixar de refletir que pai e filho presos por plantarem maconha numa cobertura devem estar agora numa pior. No entanto, não fosse a hipocrisia da lei, convenhamos: que grande idéia: primeiro, estão plantando, o que já é ótimo (fazem o contrário da prefeitura, que cortou o que pôde de árvores no Morro da Catacumba); em segundo, produto de altíssima teor de pureza, pelo que se viu da literatura à disposição, da origem das sementes e dos instrumentos para o cultivo; terceiro, se chegassem a oferecer no mercado seria um produto com garantia de qualidade.

Não fosse a hipocrisia da lei, teríamos aí dois empreendedores. No entanto, lá estão eles enquadrados como criminosos, às voltas com a justiça que teima em não olhar para o futuro. Francamente, vocês acham que eles não ganhariam um prêmio do SEBRAE?
Tudo - absolutamente tudo - é uma questão de ponto de vista.
Original: http://integradaemarginal.blogspot.com/

O dia que Guarulhos congelou

Galera, mas choveu pra caramba mesmo! fora o dilúvio vários tijolos de gelo cobriram boa parte de Guarulhos, nunca havia visto nada parecido, segundo reportagem do SP/TV nunca no Brasil foi registrado fenômeno parecido, segundo o profeta/geográfo Lionel Fontanese, "O fim do mundo vai começar em Guarulhos", parece que ele ta certo... 2012 está chegando ...

Veja algumas fotos e vídeos:
Matéria do SPTV: http://www.youtube.com/watch?v=GQ3oo1tWDbY
Matéria do IG: http://www.youtube.com/watch?v=kzyek07Twzc&feature=related%20
Matéria do Jornal da Band: http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=100000349138

New York Times: Hailstorm leaves Guarulhos ice-covered

Vídeo amador [thyssovideos] http://www.youtube.com/watch?v=UD__xz68TEw&feature=related%20
Vídeo amador [Rafa Dt]: http://www.youtube.com/watch?v=tXxNW_29pz8%20%20
Vídeo amador [Bruno Massupa]: http://www.youtube.com/watch?v=TmmRZ8gOy5o
Vídeo amador [thyssovideos] http://www.youtube.com/watch?v=CoFdIZYfCEY&feature=related

G1: Chuva de granizo deixa telhados e ruas brancos em Guarulhos
Terra: Caminhões retiram granizo acumulado em ruas de Guarulhos
Terra: Meteorologistas: granizo em Guarulhos é fenômeno incomum
R7: Granizo em Guarulhos




22 de setembro de 2010

Reblogando: O comunismo sob ameaça, no Brasil

Comunismo não tem nada a ver com um Estado forte que determina o que o povo deve comer, em que trabalhar, o que pode ser dito, quantas famílias vão morar em uma casa etc. A raiz da palavra comunismo é propriedade comum.
Não se trata de dividir todas as coisas. Apenas os meios utilizados por uma sociedade para se manter. Principalmente, os meios de produção. São as ferramentas, a terra, as sementes, a colheita e o que sobrar dela. Comunismo é semear juntos, produzir coletivamente, decidir comunitariamente. Viver solidariamente.
Essa concepção tem como base a idéia de que todos os seres humanos são iguais em seu potencial criativo. Ainda que sejam muito diferentes cada vez que esse potencial se realiza.
Muitos dizem que essa forma de viver é utópica. A história humana desmente. Foram mais ou menos 95 mil anos vivendo assim. Até que surgiu o controle privado dos meios de produção, há uns 5 mil anos.
Mas, ainda há sociedades comunistas. São as sociedades indígenas. Nelas, a propriedade privada da terra, por exemplo, é algo completamente estranho. Ela não pertence ninguém. Simplesmente existe para oferecer sustento a quem nela trabalhar.
O que resta do modo de vida comunista no Brasil está sob ameaça. Ameaçado pela expulsão das terras que ocupam há séculos. Por doenças, vícios, hábitos introduzidos pelos invasores brancos. Por obras enormes, que vão inundar florestas e matar rios. Pelo dinheiro, que corrói as relações humanas.
Felizmente, a idéia do comunismo teima em renascer. Ressurge das violências dos poderosos, revelando aos dominados sua igualdade na condição de explorados e ofendidos.

Espetáculo Kátia e Paulo - Uma Alegoria Paulistana


Comentário do Diretor
Senhoras e Senhores, só posso escrever aqui sobre a minha emoção. A emoção de mais uma vez estar trabalhando com esses coralistas, esse maestro e esses músicos que, juntos fazem um trabalho tão marcante, bonito e contundente na cena da música coral do Estado de São Paulo.
Só que neste atual trabalho, a emoção também vem da memória. Memória que não necessariamente se prende ao passado, mas que, ao ser resgatada, torna-se um presente tão pungente quanto qualquer acontecimento desses do tipo "de repente”. Depois do "Afro-Sambas", trabalho que pude dirigir em 2007 aqui, trazemos a você a obra inédita de um grande amigo, um parceiro de antigos, atuais e eternos carnavais.
Álvaro Cueva é um dos integrantes desse coral cheio de talentos individuais que optam por se colocar a disposição de um trabalho coletivo porque aqui encontram enorme potência criativa. Nós nos esbarramos, em 1988, no Curso de Artes Cênicas da USP. Juntos, formamos um grupo de teatro, criamos uma banda de música própria, gravamos um LP, compusemos inúmeras canções e cantamos "Kátia e Paulo" para mais de seis mil pessoas.
O tempo passou e só agora retomamos a parceria, cada um em sua especificidade. Eu me tornei um cara de teatro que agora dirige essa peça musical. Ele, o autor, tornou-se mais que um grande compositor, um poeta de primeira. Mas tudo isso só aconteceu porque o maestro Eduardo Fernandes teve a ousadia de das um grande passo na trajetória de seu coro cênico.
Aqui e agora, vocês poderão apreciar esse coro brilhantemente regido por ele, interpretando uma peça musical inédita e radicalizando sua proposição de juntar música e teatro, cena e canção. E tudo isso - reencontro, parceria e ousadia - é realmente emocionante, senhoras e senhores.
Marcelo Lazzaratto

Cine-Clube Precário: O Homem Que Virou Suco

O Homem Que Virou Suco
Deraldo é um poeta popular nordestino recém-chegado a São Paulo, onde tenta sobreviver de suas poesias e folhetos. Confundido com um operário de uma multinacional que mata seu patrão, é perseguido pela polícia e perde sua identidade e condição de cidadão. O filme aborda a resistência do poeta diante de uma sociedade opressora, que esmaga diariamente homens e mulheres, eliminando suas raízes. Roteiro e Direção: João Batista de Andrade.
O Cine-Clube Precário é um cinema ao ar livre que retoma a atmosfera das antigas exibições do inicio do século 20 nas cidadezinhas do interior do Brasil.
A entrada da Noitada é sempre gratuita.
Estamos na Rua Maria Lucinda, 53 - Vila Zanardi  (primeira travessa à esquerda da antiga Rua do Cano - atual Rua Fornassari) em Guarulhos - São Paulo
11 2472-7098

PALESTRA "A imagem do Brasil na Europa do século XVIII"

O DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA CONVIDA PARA A PALESTRA
"A imagem do Brasil na Europa do século XVIII" 

A Profª Drª Ângela é pesquisadora do Instituto de Investigação Científica Tropical e do Centro de História do Além-Mar da Universidade Nova de Lisboa.
Autora do livro Quando os índios eram vassalos. Colonização e relações de poder no norte do Brasil na segunda me-tade do século XVIII, Lisboa, CNCDP, 1999.

Data: 23-09-2010 (quinta-feira)
Local: Sala 14 Unidade 01
UNIFESP—CAMPUS GUARULHOS
Horário: Das 18h00 às 19h15min.

HAVERÁ CERTIFICADO PARA OS PARTICIPANTES E AS INCRIÇÕES SERÃO FEITAS NO LOCAL

Organização:
Prof. Dr. Bruno Feitler
Informações . 3381-2079

Curso de História
UNIFESP
CAMPUS GUARULHOS
ESCOLA DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS.
ESTRADA DO CAMINHO VEHO,333 JD. NOVA CIDADE—GUARULHOS

16 de setembro de 2010

O cobrador de ônibus e o Tiririca na eleição...


Pelas bandas da Avenida Timóteo Penteado, entrei em um ônibus, umas sete horas da manhã, sentei no primeiro banco ao lado da porta, sei que em outras bandas a porta de entrada do coletivo é atrás, aqui é pela frente, enfim, ali eu presenciei um momento de afloração da revolta instintiva com os velhos atores da política brasileira – e não só com a brasileira – eu e o motorista, não me lembro bem porque, começamos a bater papo sobre um candidato à câmara federal pelo DEM, um cara que após perder uma eleição, ingressou em uma igreja, virou pastor, foi eleito vereador na Capital e agora é candidato a deputado federal em uma “dobrada” com o filho do dono da igreja que é candidato a deputado estadual, o conteúdo da propaganda política deles é igual a nada, bandalheira infelizmente muito comum em nossa cena política.
Em dado momento do papo, o cobrador, até então indiferente a conversa, se manifestou:
- É por isso que eu não voto mais nesta laia; Vou votar no Tiririca e no Netinho, nenhum outro merece meu voto...
Falou com certa altivez, sem medo de errar, porém, ainda assim de forma displicente, como se falasse de algo tão importante quanto um capítulo de uma novela reapresentada, mas ainda assim sob olhares aprovadores de alguns poucos passageiros.
Disse à ele, que isto seria uma bobagem.
Entenda, votando em candidatos ridículos – que tem como apelo eleitoral, proposta nenhuma, apenas algo cômico ou aparentemente popular, de massa – o eleitor pode pensar que esta dando uma de “gato” e acertando uma paulada nos velhos “ratos” da política tradicional, porém, na verdade, está agindo como um “cachorro adestrado” que, mesmo sem perceber, obedece instintivamente a todos os comandos do seu “dono”, ainda que – com neste caso – isso seja a causa de sua própria desgraça.
No caso de candidaturas esdrúxulas, mas com grande aceitação entre a população, como a do Tiririca, assim como já aconteceu em São Paulo, vários milhares de votos são depositados em uma espécie de “voto de protesto”  ao estilo “efeito Cacareco”; Em um movimento intuitivo, quase infantil, as pessoas votam nas candidaturas mais absurdas, como uma forma de insultar os políticos da velha ordem, mas pelo total desconhecimento da legislação eleitoral, acertam o próprio pé, em um movimento tão inteligente quanto socar sorvete na própria testa.
Veja, a legislação eleitoral considera o voto, como sendo do candidato, mas também do partido, assim, quando este partido ou candidato atinge o coeficiente eleitoral – isso é a quantidade de votos para garantir uma cadeira no legislativo – os votos restantes vão sendo transferidos em cascata para os demais candidatos do partido; Logo se o Candidato Palhaço Cacareco tiver um milhão de votos e o coeficiente for algo em torno de cem mil, além de se eleger, ele elege junto com ele mais NOVE candidatos, isso, exatamente os ratos da velha política que ficaram escondidos atrás do coeficiente e deram uma de gato, O Fato é o seguinte, votando no Tiririca, você elege aquele cara que não merece seu voto e ponto.
O sistema eleitoral brasileiro é um treco estranho, porém o problema real está em nosso sistema político, eu particularmente vou votar no PSOL – 50, escolhi candidatos de luta, há outros que podem ajudar a mudar esta situação, porém se você acredita que só votar em algum candidato honesto ira transformar o país, você está sendo tão inocente quanto o cobrador do ônibus que eu peguei hoje de manhã...

Só a luta social pode transformar a sociedade!
Um outro mundo, mais que possível, é urgente e necessário.

Sidinei Roberto Nobre Júnior –
Estudante de História da UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo

OSAMA BIN REGGAE 2010 na USP

A Democracia é o Terror!!!




Venham participar da semana de Resistência Osama Bin Reggae!  Esse ano, teremos como pano de fundo da semana a questão da democracia na nossa sociedade, apontando as suas contradições e denuciando a barbárie que se realiza cotidianamente sob o seu nariz.
Dizem que o sistema democratico não é perfeito, mas é o melhor dos sistemas…o melhor pra quem, cara-pálida? É assim que queremos viver? Com essa justiça, com essa política? Nos relacionando pela mercadoria e nos realizando enquanto mercadoria?
Nunca nos venderam tanto a sensação de liberdade; nunca fomos tão vigiados, reprimidos e violentados. Um discurso homogênico não consegue se sustentar por tanto tempo em cima de tantas diferenças… O terror não está contra nós…está ao nosso lado.
vamo ae! mta gente boa pra trocar idéia!

Segunda, 13 set
18h00 debate Guerra Contra a Democracia:
nem Obama nem Osama
20h30 Longa: Uma Onda no Ar
Terça, 14 set
17h Longa: Memórias del Saqueio
19h00 debate Copa do Mundo 2014:
FIFA contra a Rapa
22h45 Som no Aquário: Doutores indianos
Zine
Quarta, 15 set
18h Som no Aquário: XEMALAMI
Unidade
19h30 debate Guerrilhas no ar:
a experiência das Rádios Livres
Quinta, 16 set
17h Curtas: Levante sua Voz
London Pirate Frequences
Longas: Piratas do Rock
O Pesadelo de Darwin
Noite do Vinil: Feira de Trocas
Sexta, 17 set.    FESTA
A partir da 23h: Bateria Gaviões da Fiel Rua São Jorge
Familia Gold Black
Zafenate
Ambulantes
Guerreiros de Sião
Força da Paz
&
Rádio Vitrola, Abracadabra Sistema de Som e Quilombo Hi-fi
com a presença de: Família Gold Black, Rádio Muda, Coletivo Radioativo, Gaviões da Rua São Jorge, Frente Anarquista Zabalaza da África do Sul,  Rádio Várzea,  MULP (movimento de urbanização e legalização do Pantanal), Movimento Passe Livre, Rádio Luta, Autônomos FC. Ambulantes, Zafenate, , Guerreiros de Sião, Força da Paz, Doutores Indianos, XEMALAMI, Zine, Quilombo Hi-fi, Unidade, Radio Vitrola e Abracadabra Sistema de Som

Charge do Latuff pelo fim do bloqueio israelense à Gaza

Moção do CAHIS da UNIFESP sobre a Praça “Emílio Garrastazu Médici”

Moção de apoio ao movimento pela mudança do nome da Praça “Emílio Garrastazu Médici” para Praça “Frei Tito de Alencar Lima” na cidade de Campinas, São Paulo.

Nós, estudantes do curso de História da Universidade Federal de São Paulo declaramos total apoio ao movimento que pede a alteração do nome da atual praça “Emílio Garrastazu Médici” localizada no campus um da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. O referido movimento solicita a alteração do nome da mesma para Praça “ Frei Tito de Alencar Lima”, uma vítima do regime ditatorial. Frei Tito teve sequelas mentais irreparáveis e se suicidou devido às torturas das quais foi vítima durante o regime militar de orientação fascista no Brasil do qual Garrastazu Médici foi um dos comandantes.
A relevância do tema está em demonstrar que a sociedade não aceita que os crimes cometidos durante este período nefasto de nossa história recente sejam esquecidos e, sobretudo, entendemos que o fato desta matéria estar na pauta da sociedade demonstra a necessidade de reflexão sobre os assuntos referentes ao período do regime militar, a urgência da abertura dos arquivos referentes ao período para a sociedade e o julgamento e prisão dos torturadores e agentes da repressão política no período.
Portanto, colocamo-nos decididamente ao lado dos que lutam para que a Praça “Emílio Garrastazu Médici” seja imediatamente renomeada para Praça “Frei Tito de Alencar Lima”.
Guarulhos, Setembro de 2010.

Centro Acadêmico de História da Universidade Federal de São Paulo
Gestão História em Movimento

Fonte: CAHIS - UNIFESP : http://cahisunifesp.wordpress.com/


Reblogando: Duas guerras: a do Afeganistão e a da Colômbia.

Fonte: ANNCOL

Guerrilheiras e guerrilheiros das FARC
Durante os últimos anos escutamos até o cansaço, a mídia desinformadora ao serviço do ganster governo narcoparamilitar de Uribe Vélez, dizer ao melhor estilo de Joseph Goebbels que a 'segurança democrática' liquidou a insurgência colombiana.
Como vulgares puxa-sacos do império tem exclamado sem parar: "A guerrilha está escondida na selva, está fugindo". “Estão comendo raízes". Fugindo sem rumo e desmoralizada". "As Frentes não têm comunicação com seus chefes". "Atacam desde o outro lado da fronteira". (risos e mais risos se escutavam diariamente no fundo das audições).
Ante iminente trunfo das forças oficiais o único que fica para a guerrilha é se render incondicionalmente.
Vã ilusão!
Examinando as cifras oficiais encontramos outra realidade.
Se compararmos o conflito colombiano com a guerra de invasão de EUA e seus aliados no Afeganistão, os dados concretos revelam que as baixas militares sofridas pela 'segurança democrática' na Colômbia, no confronto armado, durante esses oito anos, são o dobro das sofridas pelos EUA, a ISAF e outras variantes paramilitares nessa invasão, apoiada por Uribe e, para a qual ofereceu seus paramilitares para que fossem a matar afeganos.

Cifras oficiais:

País: Colômbia.
Fonte: Forças Militares.
Período: 2002 - 2010
"Segurança democrática" = "Terrorismo de Estado"

01. Soldados, policiais e agentes do DAS mortos no confronto: 4.752
02. Soldados, policiais e agentes do DAS feridos: 15.184. Destes, muitos ficam viciados em drogas, com transtornos mentais ou mutilados.

Total de baixas: 19.936

País: Afeganistão

Fonte: icasualties.org
Período: 2001-2010
"Guerra de invasão liderada pelos EUA."

01. Baixas mortais invasoras: 2.071
02. Militares invasores feridos: 7.266
Muitos deles ficam desempregados, mutilados, dependentes de drogas, desequilibrados.

Total de baixas: 9.337

Na Colômbia, as cifras deixam em evidência que o governo da 'moto-serra' e a grande mídia ocultaram sempre o fracasso da política imperial em seu propósito de exterminar a insurgência e o movimento popular.
A luta dos povos pela liberdade, a soberania nacional, a democracia, a paz com justiça social, NUNCA poderá ser silenciada e, muito menos, vencida pelos opressores.
A Nova Colômbia avança pelos campos e cidades, impregnada de povo, que enxerga já um novo amanhecer de liberdade para esse país.

IV Semana de quadrinhos UFRJ


Saiba mais no Site do Evento

15 de setembro de 2010

Que Oriente é este? Programação sobre a Cultura Árabe em São Paulo

      O Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, ligado à Secretaria da Cultura do município de São Paulo, deu início nessa semana, em parceria com o ICArabe, a uma programação especial sobre o Oriente Médio árabe, com o tema “Que Oriente é este?”.  As atrações, que começam em 15 de setembro, seguem até o dia 29 e incluem, além de seis filmes da 5ª Mostra Mundo Árabe de Cinema, palestras e oficinas.
Ministrada por Soraya Smaili, diretora do Instituto da Cultura Árabe (ICArabe), a palestra “Os árabes e suas contribuições para a ciência e a medicina” abre o evento. Safra Jubran, professora do Departamento de Letras Orientais da USP, fala sobre a língua árabe, presente em mais de 22 países e que colaborou para a formação do léxico de vários idiomas, incluindo o português. “Matemática árabe”, com Francisco Miraglia Neto, professor do Instituto de Matemática da USP, e “História de formação do mundo árabe”, com Murched Omar Taha,
professor da Unifesp, também são temas de encontros.
      A oficina “Nossas diferenças não podem superar nossas semelhanças”  traz uma performance da artista plástica Sheila Mann Hara, judia nascida no Líbano. Resgatando no título uma frase dita pelo líder norte-americano Martin Luther King, a atividade busca promover a integração, compreensão e conciliação das três religiões monoteístas: o cristianismo, o judaísmo e o islamismo.
Apreciada em todo o mundo por sua sensualidade, a milenar dança do ventre tem a sua história abordada e demonstrada em aula aberta da coreógrafa Cristina Antoniadis. O músico Jihad Smaili e a dançarina Leandra Yunis apresentam a melodia e as variações da música árabe.
      O Centro Cultural Ruth Cardoso fica na Deputado Emílio Carlos, 3.641 Zona Norte de São Paulo

 Programming on Arab Culture in Sao Paulo - البرمجة على الثقافة العربية في ساو باولو - Programación de Cultura Árabe en Sao Paulo
 

Chage do Latuff sobre a Praça “Emílio Garrastazu Médici”

Nova chage do Latuff sobre o Movimento que luta pela mudança do nome da Praça  “Emílio Garrastazu Médici” para Praça “Frei Tito de Alencar Lima” na PUCCamp na Cidade de Campinas em São Paulo.

Para saber mais sobre isso clique em: [Praça “Emílio Garrastazu Médici” nunca mais!]

13 de setembro de 2010

Reblogando: Um assentamento chamado Cuba

Um assentamento chamado Cuba


Por Sérgio Domingues
do Blog Pílulas Diárias

Fidel Castro teria negado o socialismo, dizem alguns jornais. Na verdade, ele se referiu ao atual modelo econômico de Cuba. Não ao que ele chama de socialismo.
Mas o fato é que a esquerda brasileira precisa discutir melhor a experiência cubana. Não apenas defendê-la e fazer lhe elogios irrestritos.
Talvez, pudéssemos comparar Cuba a um assentamento de trabalhadores rurais. Uma trincheira formada por homens e mulheres organizados solidariamente. Dispostos a lutar por seus direitos e pela liberdade. Tudo muito parecido com Cuba.
Um assentamento sofre ataques pesados e covardes do latifúndio e do Estado. O povo cubano é vítima do imperialismo. Numa ocupação, a ameaça dos inimigos obriga à adoção de forte disciplina e respeito às lideranças. É o que ocorre com o povo cubano, sua disciplina quase militar e obediência míope a Fidel Castro.
A direção do MST se declara socialista. Mas, os assentados lutam pelo direito de produzir e vender para o mercado. O governo cubano afirma que a ilha já vive no socialismo. Mas, abriu-se para o turismo e luta para se integrar à economia mundial.

O capitalismo é um sistema global. Invade, corrói, massacra cada pedaço do planeta. Seus valores e lógica se impõem tanto num assentamento como em Cuba. Num caso e no outro, não se trata de socialismo. Nem de transição a ele. É resistência.
Por isso, não pode haver dúvidas. Todos os verdadeiros revolucionários devem defender Cuba, tanto quanto defendem o MST.
Mas, é preciso superar os limites ideológicos que os inimigos impõem. O socialismo só pode ser construído de baixo pra cima. Fruto da luta mundial dos trabalhadores. Com formas coletivas e solidárias de produção. Sob o governo de organizações populares. Caminho seguro para uma comunidade mundial formada por pessoas livres das amarras econômicas, hierarquias e opressões.

Teatro: O CIRCO DO NORDESTE

A CIA DE THEATRO MUSICAL MARKO COSTA, apresenta a remontagem do espetáculo de grande sucesso de público, O CIRCO DO NORDESTE.

Com novo elenco e novos personagens. "Tudo se passa numa cidadezinha chamada Barra Mansa do Saracutaia, no ano de 1928. Na praça em frente a igreja da padroeira Nossa Senhora do divino milagre, já logo ao raiar do dia, lá está João Firmino montando sua barraquinha para vender os folhetos de cordel, que tanto mexia com o imaginário do povo. Mas, eis que os negócios não iam bem para João, o povo não se interessava mais pelo cordel. Mas em uma noite desesperado ele vai a igreja conversar com a Santa e eis que um milagre acontece mudando de vez a história daquela cidade. Um espetáculo colorido e muito divertido, todo narrado em cordel, com danças e músicas que fica difícil não cantar junto".

direção e coreografia -Marko Costa
produção -MARKO STUDIO arte produção
cenários - Aberto Corbó Aqui uma prévia do espetáculo no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=ONeQMNBOCnU


Única apresentação dia 18/09/2010 às 19hrs, local Teatro Adamastor Pimentas, Guarulhos - SP, Clássificação LIVRE e entrada gratuíta

10 de setembro de 2010

Cinema e debate: Clandestinas - o aborto no Brasil

O CIM e a MMM realizarão na sexta-feira, 17 de setembro, às 19h00 a exibição do filme Clandestinas: o aborto no Brasil, seguido de debate entre as presentes. Essa ação é parte da iniciativa da MMM e do CIM no mês de setembro, que é marcado pelo debate sobre a legalização do Aborto no Brasil.

Sobre o filme:
Trata-se do trabalho de Conclusão do Curso de Jornalismo da Universidade de São Paulo realizado por Ana Carolina Moreno, em 2006. Traz um panorama da situação da ilegalidade do aborto no Brasil, tendo como perspectiva a atuação do movimento de mulheres.

Então não se esqueçam:

Dia 17 de setembro, as 19h00

Local: CIM – Praça Roosevelt, 605, ao lado da igreja da Consolação.
compareça e Divulgue!

Marcha Mundial das Mulheres


8 de setembro de 2010

Em breve o Blog Sid Cerveja terá WebRádio

É isso galera, em breve, creio que semena que vem, estará no ar, ainda que em fase experimental, a web rádio do blog, com som, informação, fumaça, protestos e divulgação de actividades em geral, a idéia é que o programa tenha periodicidade semanal.

Exposição de Fotos no SENAC: 100 anos do Corinthians

Senac apresenta exposição de fotos dos 100 anos do Corinthians

Para homenagear os 100 anos do Sport Club Corinthians Paulista, o Senac São Paulo inicia nesta segunda-feira (13), a exposição fotográfica “Corinthians, 100 fotos”, que mostrará a história contemporânea do time por meio das imagens de Daniel Augusto Jr, fotógrafo oficial do time. Ronaldo, Roberto Carlos, Elias, Casagrande, Sócrates, Dinei, Tupãzinho e Marcelinho são alguns dos que marcaram e ainda marcam a trajetória do Alvinegro Paulista, e estão retratados na mostra que ficará em cartaz de 14 de setembro a 23 de outubro, no Senac Lapa Scipião.

Segundo Daniel, o visitante da exposição conhecerá fotos de bastidores e cenas nunca mostradas por jornais ou TV. "Essa exposição é uma oportunidade de muito significado. O gol marcado pelo Tupãzinho em 1990 no 1º Campeonato Brasileiro vencido pelo Timão, por exemplo, é uma foto exclusiva que estará na mostra". Para João Kulcsár, curador do evento e professor de fotografia do Centro Universitário Senac, essa é uma ocasião para os torcedores do Todo Poderoso verem imagens dos jogadores nos treinamentos, vestiário, jogos e gols, além do delírio da torcida.

O Senac São Paulo preparou um catálogo que trará, além das fotos da mostra, as datas dos títulos do time em uma linha do tempo relacionando aos acontecimentos do Brasil em cada época. O documento é gratuito e pode ser retirado na entrada da exposição, mas a quantidade é limitada.

Palestra com Celso Unzelte

Na abertura da exposição (13), Celso Unzelte, jornalista, escritor, comentarista esportivo e historiador do Corinthians, apresenta a palestra “Corinthians: o Time do Povo”. Ele falará sobre a trajetória do clube nestes 100 anos de história. As vagas são limitadas, então faça sua inscrição gratuita pelo telefone (11) 3475-2200.

Sobre Daniel Augusto Jr.

Daniel Augusto Jr. trabalhou em diversos veículos de comunicação de São Paulo, entre eles: Placar, Folha de S. Paulo, O Globo e Lance!. Desde 1984, registra as imagens do Sport Club Corinthians Paulista e, desde 2003, fotografa para o Site Oficial do time (http://www.corinthians.com.br). Em janeiro de 2008 tornou-se o fotógrafo oficial do Corinthians. Autor dos livros "Eu Voltei" (2008), "Invicto Fenomenal "(2009) e "Copa do Brasil" (2009), que retratam 3 passagens da história alvinegra: a volta à série A do Campeonato Brasileiro, o título Paulista invicto de 2009 e a conquista da Copa do Brasil do mesmo ano.

Serviço:

Palestra e abertura da exposição
Data: 13/9 Horário: às 19h30 Local: Senac Lapa Scipião. R. Scipião, 67 - Lapa (Auditório) Informações: (11) 3475-2200 Curadoria: João Kulcsár Gratuito (vagas limitadas, sujeitas à lotação) Corinthians, 100 fotos Exposição Data: 14/9 a 23/10 Horário: 2ª a 6ª, das 9 às 21 horas; sábados, das 9 às 16 horas Local: Senac Lapa Scipião. R. Scipião, 67 - Lapa. Informações: (11) 3475-2200 Gratuito Informações para imprensa Setembro/2010 In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação Natalia Ribeiro - natalia.ribeiro@inpresspni.com.br Arlete de Oliveira - arlete.oliveira@inpresspni.com.br Cibele Anjos - cibele.anjos@inpresspni.com.br Tel.: (11) 3323-1557/1520

IV Feira do Livro & II Semana de Artes da UNIFESP


Está chegando a IV Feira do livro Unifesp e a II Semana de Artes Unifesp. Compareça, divulguem...

Confira Programação completa no blog: www.arteelivrounifesp.blogspot.com

5 de setembro de 2010

1º Concurso Literário (apud) letras da UNIFESP

I Concurso Literário (apud) Letras
O I Concurso Literário (apud) Letras, cuja inscrição e participação é gratuita, faz parte do Calendário de Eventos Culturais da I Semana de Letras da Universidade Federal de São Paulo, e visa a divulgação de novos talentos literários, o incentivo à leitura e à escrita, o estímulo ao escritor novato ou experiente e a manutenção da tradição literária no ambiente universitário. É aberto a qualquer graduando da Universidade Federal de São Paulo.
Neste ano, o I Concurso Literário (apud) Letras receberá crônicas, poesias e contos com tema livre.

3 de setembro de 2010

"É muito bom ver Plínio falar, ouvir sua coragem", diz Tom Zé

Após tornar público seu apoio à cadidatura de Plínio Arruda Sampaio, o músico, pensador e militante Tom Zé dedicou um texto de seu blog ao tema da eleição presidencial, onde explica porque decidiu apoiar o candidato do PSOL.
“É muito bom ver Plínio falar, ouvir sua coragem, sua translúcida opinião de tanto destemor, suas preocupações com a gente do País, com pessoas, de modo geral. É uma qualidade importantíssima.Nem todos os políticos a têm. Neles, considerar pessoas antes de nelas pensar como eleitores é raro”, comenta em seu texto.
Ao abordar o teor das avaliações que geralmente são feitas ao governo do presidente Lula, Tom Zé disse ainda que o candidato se diferencia, pois “as críticas de Plínio são também muito boas, elas propõem”.

Origem: Plínio 50