16 de setembro de 2010

Reblogando: Duas guerras: a do Afeganistão e a da Colômbia.

Fonte: ANNCOL

Guerrilheiras e guerrilheiros das FARC
Durante os últimos anos escutamos até o cansaço, a mídia desinformadora ao serviço do ganster governo narcoparamilitar de Uribe Vélez, dizer ao melhor estilo de Joseph Goebbels que a 'segurança democrática' liquidou a insurgência colombiana.
Como vulgares puxa-sacos do império tem exclamado sem parar: "A guerrilha está escondida na selva, está fugindo". “Estão comendo raízes". Fugindo sem rumo e desmoralizada". "As Frentes não têm comunicação com seus chefes". "Atacam desde o outro lado da fronteira". (risos e mais risos se escutavam diariamente no fundo das audições).
Ante iminente trunfo das forças oficiais o único que fica para a guerrilha é se render incondicionalmente.
Vã ilusão!
Examinando as cifras oficiais encontramos outra realidade.
Se compararmos o conflito colombiano com a guerra de invasão de EUA e seus aliados no Afeganistão, os dados concretos revelam que as baixas militares sofridas pela 'segurança democrática' na Colômbia, no confronto armado, durante esses oito anos, são o dobro das sofridas pelos EUA, a ISAF e outras variantes paramilitares nessa invasão, apoiada por Uribe e, para a qual ofereceu seus paramilitares para que fossem a matar afeganos.

Cifras oficiais:

País: Colômbia.
Fonte: Forças Militares.
Período: 2002 - 2010
"Segurança democrática" = "Terrorismo de Estado"

01. Soldados, policiais e agentes do DAS mortos no confronto: 4.752
02. Soldados, policiais e agentes do DAS feridos: 15.184. Destes, muitos ficam viciados em drogas, com transtornos mentais ou mutilados.

Total de baixas: 19.936

País: Afeganistão

Fonte: icasualties.org
Período: 2001-2010
"Guerra de invasão liderada pelos EUA."

01. Baixas mortais invasoras: 2.071
02. Militares invasores feridos: 7.266
Muitos deles ficam desempregados, mutilados, dependentes de drogas, desequilibrados.

Total de baixas: 9.337

Na Colômbia, as cifras deixam em evidência que o governo da 'moto-serra' e a grande mídia ocultaram sempre o fracasso da política imperial em seu propósito de exterminar a insurgência e o movimento popular.
A luta dos povos pela liberdade, a soberania nacional, a democracia, a paz com justiça social, NUNCA poderá ser silenciada e, muito menos, vencida pelos opressores.
A Nova Colômbia avança pelos campos e cidades, impregnada de povo, que enxerga já um novo amanhecer de liberdade para esse país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário