2 de agosto de 2011

Seminário sobre arte e acessibilidade em Sampa. São Paulo é acessível?

Participe do seminário Arte Acessível, que ocorrerá nos dias 11 e 12 de agosto. O evento faz parte dos Projetos Especiais da Secretaria de Estado da Cultura e pretende proporcionar uma reflexão sobre o acesso e o fazer artístico das pessoas com deficiência e como a cidade, os espaços públicos e privados dialogam com essas questões. .
 No seminário também será discutidos as ações, ferramentas e mecanismos que esses locais dispõem para romper as barreiras e diminuir as distâncias entre as pessoas.
 As inscrições já estão abertas e podem ser feitas na sede da Oficina Oswald de Andrade, das 14 às 22h, até o dia 10 de agosto. 

Programação

11 de agosto 
10h às 12h - abertura

14h às 17h - Mesa: Direito ao Acesso: fruição e fazer artístico
Romper barreiras - diminuir distâncias
70 lugares

20h - Fragmentos e processos criativos de "Lautrec", com Kátia Fonseca
50 lugares (retirar ingressos com uma hora de antecedência)


12 de agosto
 
9h às 12h

Workshop "Compartilhando as diferenças" - Acessibilidade Atitudinal, com Kátia Fonseca
Público alvo - Interessados em conhecer os direitos e a lidar com diferentes situações envolvendo pessoas com deficiências
40 vagas

Workshop "Dança sem Fronteiras" - DanceAbility, com Fernanda Amaral
Público alvo - Interessados em Danceability, com e sem deficiência
20 vagas


Crédito: Kirstenmcternam - DanceAbility

14h às 17h

Mesa: Acessibilidade "A Cidade, os espaços públicos e privados estão preparados para receber pessoas com deficiências para a fruição e o fazer artistico?"
70 lugares

Serviço:
 Oficina Cultural Oswald de Andrade
Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro - São Paulo - SP
Telefone (11) 3221-5558 / 3222-2662

Projetos Especiais
Telefone (11) 4096-9838 ou 4096-9850
Informações: http://www.oficinasculturais.org.br/


Fonte: Elisabete Machado/ Imprensa Oficinas Culturais

16º EDIÇÃO DO FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO - FBCU

Festival de cinema universitário em São Paulo entre os dias 8 e 14 de agosto de 2011 em diversos espações da cidade dentre eles o "Matilha Cultural" o "CinUSP" e o Olido.
Veja a programação completa no site do festival: http://www.fbcu.com.br/


O Festival Brasileiro de Cinema Universitário (FBCU), principal exibidor de produção audiovisual universitária brasileira e internacional no país, chega a São Paulo com sua 16ª edição em 2011. As sessões, sempre gratuitas e abertas ao público, acontecerão no Cine Sabesp, CinUSP, Cine Olido e Matilha Cultural em São Paulo. A programação do festival conta com a Mostra Competitiva Internacional que tem a curadoria de Eduardo Cerveira e Alice Furtado. Nela, serão exibidas 30 produções selecionadas dentre os mais de 500 filmes inscritos, tanto do Brasil quanto de outras partes do mundo.

O FBCU se originou em Niterói (RJ), e há 16 anos vem ganhando visibilidade e respeito dentro do setor da produção cinematográfica, levando a discussão e a produção colaborativa para estudantes de audiovisual, no intuito de ampliar o espaço para exibição de seus filmes. Com isso, foi natural que o festival passasse a propiciar a integração das escolas de cinema. “Encontros entre alunos, ex-alunos, professores e profissionais de cinema geram uma troca de conhecimento e experiência imprescindível para quem trabalha com o universo cinematográfico. Inclusive, é essa possibilidade de fomentação de ideias uma das principais inspirações para um cineasta”, diz Flavia Candida, responsável pela Mostra Competitiva Nacional do FBCU no Rio de Janeiro.

Durante o período de inscrições, o FBCU recebeu roteiros para o “Projeto Sal Grosso”. Alguns dos roteiristas inscritos são convidados a participar de uma oficina com profissionais do ramo, como Marcos Pimentel, Paulo Halm e Paulo Cesar Alcântara. Ao término da oficina, os professores escolhem o melhor roteiro, que é filmado com produção do Festival e apresentado durante o evento no ano seguinte.  O autor do roteiro escolhido dirige o filme e as escolas que se destacarem na Mostra Competitiva Nacional, que ocorre no Rio de Janeiro de 27 de julho e 7 de agosto, são convidadas a assumir funções como fotografia, montagem e direção de arte.

Dentre as ações importantes do FBCU está a formação de público. O festival busca aproximar crianças e adolescentes da programação cultural da cidade, por meio de sessões especiais, além do trabalho de difusão e preservação da memória da produção audiovisual universitária brasileira e o investimento na formação e capacitação profissional de estudantes. Com isso, o festival emprega temporariamente cerca de setenta pessoas para atuar em diversos cargos durante o evento.

O Festival Brasileiro de Cinema Universitário estreia nesta edição, o Panorama Internacional Longas de Escola, com a exibição de filmes universitários produzidos por estudantes de cinema. No Rio de Janeiro e em São Paulo acontece a Mostra Homenagem, que neste ano prestigiará o professor de edição de som Eduardo Santos Mendes, da ECA-USP, que fará um seminário sobre o tema.

Saiba mais em:  http://www.fbcu.com.br/ (Site do festival)
ou em: Matilha Cultural um dos espaços de exibição.