28 de março de 2012

Nota Oficial da Gaviões da Fiel sobre acontecimentos da rodada de domingo (25/03/2012)



A Diretoria dos Gaviões da Fiel vem a público manifestar-se sobre os acontecimentos de domingo.

Indiscutivelmente, lamentáveis os fatos ocorridos. As diversas imagens veiculadas – Briga na Avenida Inajar de Souza; Polícia reprimindo torcedores do lado externo do Pacaembu; e briga entre torcedores na arquibancada verde – foram fatos distintos, mas que a intolerância imperou em todos eles.

O rico histórico da entidade Gaviões da Fiel na sociedade paulistana e brasileira, desde nossa fundação, de nossas contribuições na luta contra a ditadura, a favor das Diretas Já ou até nos trabalhos sociais e culturais, em que mostramos os bons valores dos Gaviões. Porém, é importante ressaltar que nenhuma benfeitoria justificará tais atos de violência.

Neste domingo, a diretoria dos Gaviões, como sempre, organizou seus mais de quarenta coletivos, tanto da capital como do interior com uma única orientação: ir para a sede da torcida, concentrar-se, participando das festividades e seguir para o jogo com a escolta da Polícia Militar, assim como o combinado no Plano de Ação Preventivo.

Nós, não somos responsáveis pelos atos de domingo. Se corinthianos acreditam que a forma de viver a vida e o futebol são aquelas, nós ressaltamos que estes, estão fazendo um mau uso do livre arbítrio e prejudicando a entidade. A maneira de viver e de ser Gaviões é outra. O verdadeiro Gavião vai ao estádio para torcer e jogar com o Corinthians nas arquibancadas. Essa é nossa essência e o nosso objetivo, ir aos estádios. Temos muitos sócios, a torcida corinthiana é grande e, infelizmente, uma minoria realiza este tipo de ação. Abriu-se inquérito policial sobre o ocorrido e, caso seja comprovado à participação de algum membro dos Gaviões, será imediatamente expulso de nosso quadro associativo.

Além de expulsarmos, continuaremos contribuindo com o Plano de Ação em vigência, temos propostas para contribuir nas melhorias, mas infelizmente, o direito de nossa participação, como garantido no Estatuto do Torcedor, é limitado. Acontecem fatos lamentáveis entre torcedores e caímos na descriminação novamente, regredindo em todos os trabalhos.

Muito é dito sobre a melhoria quanto à redução de atos violentos nas imediações dos estádios. Fruto de um conjunto de ações que também contribuímos. Muito é dito também que os problemas são os trajetos, nos meios de transportes, distante do estádio e afirmamos que a deficiência é neste ponto. Eis a parte do Plano de Ação que deve ser aperfeiçoado e com muita participação e comprometimento das torcidas organizadas.

O conhecimento da organização de cada torcida é fundamental para a prevenção dar certo. Nós, dos Gaviões, atuamos em cada coletivo com muitas orientações, buscando o bem estar, mas, nem todos optam ir ao estádio de forma organizada e não podemos nos responsabilizar por eles.

Enxergamos que a violência na sociedade, no Brasil e no mundo está extrapolada. A formação de nossa sociedade brasileira é deformada. Nosso ensino público deficiente, saúde precária, falta de emprego, falta de oportunidade para a maioria, o individualismo, dentre muitas questões que analisamos. Como podem cobrar uma postura perfeita de torcedores e nos responsabilizar por todos?

Temos propostas para melhorias também, mas não somos ouvidos. Nossa entidade sempre foi contra impunidade e a favor das melhorias para o torcedor. Prova disto é que fomos a primeira e única Torcida Organizada a apoiar a formulação e aprovação do Estatuto do Torcedor. Faltava à legislação para acabar com a impunidade que imperava, hoje desejamos que seja aplicada corretamente. As Torcidas Organizadas estão sendo suspensas sem que os casos referidos sejam totalmente apurados, comprovando a culpa da direção das entidades.

Nestes casos lastimáveis, enxergamos certo oportunismo e afirmações caluniosas de quem “apura”. Já denunciamos a Avenida Inajar de Souza como ponto de risco às autoridades. A avenida, usada como acesso de todos os torcedores como caminho único, torna-se um local com alto potencial de risco. Ressaltamos isso muitas vezes. Quando joga dois times grandes da capital, o local torna-se ponto de risco.

Alguns locais de acesso dos torcedores recebem contingentes relevantes, circulam cerca de 200, até 500 torcedores, e poucas viaturas atuam nestes locais em caso de encontro de torcedores, nem sempre conseguem conter o possível conflito. É necessário aperfeiçoar esse plano de organização e estamos dispostos a ajudar.

Em consequência deste fato lamentável, a direção dos Gaviões responderá o inquérito policial aberto. Nesta terça-feira, a Polícia Civil, o DHPP, através do Degradi, cumpriu mandato de busca em nossa sede. Levaram nosso movimento administrativo e nossos computadores para avaliações, pois acreditam que essas brigas são agendadas por internet.

Nos veículos de comunicação, tendenciosamente ou não, informaram que o dinheiro recolhido na busca é de atividade não confirmada. Esclarecemos às autoridades, logo na apreensão, que esta referida quantia trata-se de pagamento que devemos fazer ao Corinthians Paulista dos ingressos do jogo do último domingo. Prática de cada jogo, no qual o Corinthians já comprovou às autoridades, inclusive com documentos.

Nossa direção é comprometida com os bons valores dos Gaviões e do ser humano e, infelizmente, uma minoria nos prejudica. Com torcida ou não, mal torcedores existirão. Os mecanismos existentes precisam funcionar de forma ordenada e não ferir a maioria dos associados das Torcidas que vão aos estádios torcer pelo seu time.

Diretoria Gaviões da Fiel

23 de março de 2012

Dia da Terra Palestina terá evento em São Paulo dia 30 de Março de 2012

   Evento significativo para todos e todas querem entender melhor oque acontece no oriente médio, mais especificamente na Palestina ocupada, sua luta por liberdade e os interesses envolvidos na questão, eu estarei lá com certeza e recomendo fortemente a participação de todos!
   O evento consistirá em um conjunto de atividades dentre elas: exibição de documentários, declamação de poesias, debate e exposição, o evento terá a presença do grande cartunista carioca "Carlos Latuff" e do Prof. Dr. Paulo Daniel Farah.

DIA 30 de Março – Sexta-Feira – 19:30 h

AUDITÓRIO DA FACULDADE CASPER LÍBERO

Av. Paulista, 900 - Metro Brigadeiro

São Paulo, SP


Mais informações pelo e-mail:
info@bibliaspa.org


Imprensa mexicana impressionada com a paixão da torcida do Corinthians Paulista...





Matéria esclarecedora, a torcida do corinthians é "Á" torcida, vamo que vamo time do povo, vamo Coringão!


Após cobrir a vitória do Timão no Pacaembu, o jornalista mexicano Luis García Olivo publicou um texto memorável sobre a torcida corinthiana no jornal Esto. Confira abaixo:

"Paixão no estádio
Na verdade, uma religião"

Transformado em uma autêntica necessidade, o futebol em São Paulo e em todo Brasil é verdadeiramente uma religião que envolve todo um ritual. Sem importar a hora que aconteça a partida, como a de ontem que foi às 22h do Brasil (19h, do México), os torcedores lotaram a casa, sem se importar com as complicações. Famílias, casais, adolescentes e até crianças acordaram cedo somente para aguardar o momento de ir ao campo e apoiar ao Corinthians, seu amor, sua religião, sua vida inteira. Poucas horas antes de começar o jogo, fogos pirotécnicos dão boas vindas. As músicas começam a ecoar e um mar de camisas brancas surge no horizonte. Milhares nem piscam, reclamam, se irritam, aplaudem, extravasam e ofendem Corona e companhia por fazerem cera, roem as unhas em cada jogada e ao soar do apito. Sua paixão não tem comparação nem latitudes, por isso mil respeitos ao Brasil, à cidade de São Paulo e ao Corinthians.

O resultado já era esperado com antecedência. Ontem à noite, só foi confirmado. O estádio do Pacaembu, não menos importante que o Morumbi, da cidade paulista, ensinou porque abriga um dos maiores clubes do país e do continente. Impressionante como num dia de trabalho, suas bandeiras foram embaladas e uma paisagem branca foi o que deixou os jogadores do Cruz Azul boquiabertos. Lotado até no alambrado, o estádio ensinou o que é ‘A Torcida do Corinthians’, umas das mais populares do mundo, mais que a La 12 do Boca Juniors, os Tiffosi na Itália e os hooligans da Alemanha. O barulho do estádio que se escutava não tem comparação, não tem dimensão. O volume alto de “Corinthians!”, “Corinthians!” deixou atônito aqueles que estão longe dessa paixão que se vive o futebol nas cidades sul-americanas do continente. Aqui, é outra coisa”

Para ler o texto original, clique no link:http://www.oem.com.mx/esto/notas/n2475951.htm 

16 de março de 2012

Aziz Nacib Ab´Saber morreu hoje, 16 de março de 2012 - Blog Sid Cerveja de Luto!

Hoje morreu em São Paulo, um dos principais intelectuais da américa latina na atualidade, o geógrafo Aziz Ab´Saber, professor da Universidade de São Paulo, um lutador, um gigante em sua área e sobretudo, um grande ser humano, no sentido mais significativo do termo!

Sentiremos saudades Professor!
Foi um prazer um dia ter estado contigo!


Professor: Aziz Nacib Ab´Saber

Matéria do Site do Jornal Brasil de Fato:

Aziz Nacib Ab´Saber, um dos geógrafos mais respeitados do país, morreu na manhã desta sexta-feira, às 10h20 em sua casa, em São Paulo, vítima de um ataque cardíaco em sua residência. Ainda não há informações sobre local de velório e sepultamento. Não haverá aulas na FFLCH (USP) nesta sexta-feira (16). A Faculdade decretou luto oficial. Ele tinha 87 anos. A informação foi dada pela SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) da qual Ab´Saber era presidente de honra e conselheiro.
Apesar da idade avançada, Ab´Saber envolveu-se, nos últimos dois anos, com a discussão do novo Código Florestal. De acordo com a SBPC, o geógrafo criticava o texto por não considerar o zoneamento físico e ecológico de todo o país, levando em consideração a diversidade de paisagens naturais no Brasil. 
Um dia antes de morrer, o professor, nascido em São Luís do Paraitinga, em 24 de outubro de 1924, fez sua última visita à SBPC, em São Paulo. Em um gesto de despedida, mesmo involuntariamente, ele entregou na tarde de ontem à secretaria da SBPC sua obra consolidada, de 1946 a 2010, em um DVD, para ser entregue a amigos, colegas da Universidade e ao maior número de pessoas.
“Tenho o grande prazer de enviar para os amigos e colegas da Universidade o presente DVD que contém um conjunto de trabalhos geográficos e de planejamento elaborados entre 1946-2010. Tratando-se de estudos predominantemente geográficos, eu gostaria que tal DVD seja levado ao conhecimento dos especialistas em geografia física e humana da universidade”, diz Ab'Saber em sua dedicatória.

Folha de São Paulo: 


Prof. Machado Neto , Prof. Aziz Ab'Saber e Carlos 


8 de março de 2012

Feira "Frutos da Luta" comercializará produtos da reforma agrária em São Paulo



O MST (Movimento dos Sem Terra) Organizará em São Paulo (Bixiga) Uma feira de produtos orgânicos da reforma agrária, o evento aconterá entre os dias 9 e 11 de março na Rua Treze de Maio,540 São Paulo, SP, para mais informções entre em contato pelo telefone: 11 - 3263 1015

6 de março de 2012

IstoÉ Guarulhos ataca a Marcha da Maconha


O "Jornal" IstoÉ Guarulhos publicou uma matéria sobre a Marcha da Maconha Guarulhos, a "matéria", além de muito mal escrita, revela o total desconhecimento sobre oque é a Marcha da Maconha, sobre oque é a Maconha e principalmente sobre oque é liberdade!

É claro que o Sr Murdock tem todo o direito de ser contra a legalização da maconha, mas com argumentos como "É O FIM DOS TEMPOS", "CHEIRINHO DO MAL" ETC, carinha aí demonstra o quão científica e embasada é sua opinião, o cheiro da Maconha o incomoda, será que não estão muito mais incomodadas às pessoas que tem de conviver com o tráfico, balas perdidas, mortes, violência policial e prisões sem justificativa?

Na visão deturpada do rapaz o uso medicinal da Maconha é mera desculpa, então as milhares de pessoas que estariam mortas se não fosse o tratamento a base de Cannabis, na esmerada opinião dele, não valem NADA! Os governos do Canadá, Austrália, do estado da Califórnia estão loucos em gastar dinheiro em pesquisas médicas sobre a maconha e a UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) que, ano passado, organizou um seminário médico internacional sobre Maconha medicinal não merece crédito nenhum.

Mas o pior ainda estava por vir, o dito autor da "matéria" consegui ir além, colocar como opção democrática, ser contra ou a favor da homofobia, este é o cúmulo da imbecilidade; Ser contra a homofobia é combater a discriminação que milhares e milhares de pessoas sofrem diariamente, agressões sem sentido, ódio, mortes...

Parece que o Sr. Murdock realmente adora a violência, pelo menos é o que fica claro em suas estúpidas colocações, liberdade, defendemos! Racismo, Homofobia e a imbecilidade, como argumentos... Tô fora.

E saiba, caro "jornalista", marcharemos, subsidiados pela decisão do STF e com muita luta, alcançaremos a legalização da maconha, que certamente será apenas um passo para conquistarmos uma sociedade mais justa, igualitária e sem violência, racismo e homofobia!



<><><><><><>
CTRL+C da Matéria na Net

5 de março de 2012

O que é Socialismo

Por Sadek Amin

Na sociedade capitalista em que vivemos, existem duas classes sociais FUNDAMENTAIS que lutam entre si quanto às relações de produção:  a burguesia e o proletariado. A burguesia é uma classe social formada pelos proprietários dos meios de produção (terras, máquinas, ferramentas, matéria-prima, edifícios, meios de transporte etc.), e o proletariado é uma classe formada por aqueles que possuem apenas sua força de trabalho ( a capacidade dos trabalhadores, usada em troca de salário, para produzir riqueza material). A burguesia despojou o proletariado dos meios de produção por um longo processo histórico que envolveu muitas guerras e opressão.
                Assim chegamos a entender que a minoria burguesa, por possuir os meios de produção, explora a maioria proletária, obrigada, nestas condições – capitalistas – a vender sua força de trabalho em troca de um salário; Este salário, pago pelo capitalista em troca do trabalho executado pelo proletário, é muito menor do que o valor final que ele, trabalhador proletário, produziu.
                A diferença de valor entre o salário pago ao proletário e o valor final que ele produziu como produto do seu trabalho, que fica na mão do explorador, é a chamada mais-valia, que constitui o lucro e é a base para o acúmulo crescente de capital na mão do capitalista. Desta forma, os interesses das duas classes são opostos: o proletariado quer se libertar deste círculo vicioso de exploração, e a burguesia quer explorar cada vez mais o proletariado para ter mais mais-valia e concentrar em suas mãos cada vez mais riqueza, luxo e controle político-social. Deste antagonismo surge a luta de classes que é uma constante do regime capitalista, e é a única amaça séria ao domínio da propriedade burguesa.
                A classe proletária, para reverter essa situação, tem como única saída atacar a burguesia no seu eixo essencial. A tarefa fundamental é expropriar a burguesia de sua propriedade dos meios de produção e assim obter o controle do produto social do trabalho, antes usurpado pela burguesia. Para cumprir esta tarefa histórica, a classe proletária organiza-se em sindicatos e partidos políticos revolucionários, iniciando a luta pela destruição do modo capitalista de produção. Seu triunfo será a substituição do capitalismo pelo socialismo, como um novo modelo social em que a propriedade privada dos meios de produção será substituída pela propriedade social, coletiva, dos meios de produção e distribuição de riqueza.
                Na concepção marxista, elaborada a partir de análises científicas da formação histórica do capitalismo e de seus mecanismos econômicos, o socialismo é um sistema sócio-político que só pode ser caracterizado pelo fim efetivo do capitalismo, com a apropriação dos meios de produção pela coletividade. Assim, abolida a propriedade privada destes meios, todos se tornariam trabalhadores, tomando parte na produção e na distribuição, e as desigualdades sociais tenderiam a desaparecer drasticamente.
                O socialismo é portanto uma etapa do processo revolucionário, que começa acabando com as estruturas capitalistas e construindo um estado controlado pelo proletariado para organizar o funcionamento da sociedade e a repressão dos antigos dominadores, mas que só acaba com sua próxima fase: o COMUNISMO, na qual o estado passaria a ser desnecessário e seria extinto. E todos os vestígios da divisão de classes desaparecerão.

Jornal AL BAIAN SOCIALISTA Nº3 Julho de 2009





"O dinheiro é a essência alienada do trabalho e da existência do homem; a essência domina-o e ele adora-a." (Karl Marx)