23 de abril de 2012

Marcha da Maconha Guarulhos: Panfletos coloridos e imprensa ...

     Até onde eu tenho notícia, dois veículos da "imprensa" de Guarulhos teceram comentários sobre a Marcha da Maconha local, o primeiro escrito pelo Sr. Murdock é tão ruim, mais tão ruim, que seria de fato absolutamente cômica, se não fosse seu teor de ódio e homofobia, que a torna execrável; o segundo, publicado no "Jornal Guarulhos Hoje", naquela parte em que são disparadas algumas notinhas infames que são muito comum nos jornais da cidade (e fora dela também, justiça seja feita).
     Esta sim merece alguma atenção, apesar do conteúdo refletir a clara desinformação sobre o tema, pelo menos demonstra algum bom humor no lugar do ódio da primeira, espero que estes veículos estejam dispostos a ouvir o lado da Marcha e saber que em um regime democrático existem posições diferentes, e nem nós somos obrigados a acatar a posição deles, nem eles a nossa, mas como veículos de informação, de comunicação social, é dever deles informar que existe um debate, se informar sobre o tema e ajudar na construção democrática da diminuição da violência e da defesa da sáude pública.


Links :

Panfleto colorido - frente

Panfleto colorido - verso

9 de abril de 2012

A "TLS" organiza em Guarulhos o 2° Encontro de formação educacional com o tema: "EDUCAÇÃO E SEUS DESAFIOS NO CONTEXTO DO SÉCULO XXI"

EDUCAÇÃO E SEUS DESAFIOS NO CONTEXTO DO SÉCULO XXI

FILME: QUANDO TUDO COMEÇA
Menção Especial do Júri no Festival de Berlim de 1999
DIRETOR: BERTRAND TAVERNIER
O FILME TEM COMO OBJETIVO DISCUTIR OS EFEITOS DAS POLÍTICAS NEOLIBERALIZANTES NA EUROPA E SEUS EFEITOS NA EDUCAÇÃO, BEM COMO AS SEMELHANÇAS COM AS REFORMAS EDUCACIONAIS NO BRASIL.
CONTEÚDO TEMÁTICO: REFORMAS EDUCACIONAIS; AVALIAÇÃO; CRISE ECONÔMICA; CARREIRA DOCENTE.

SÁBADO
DIA 14 DE ABRIL DAS 14 H ÀS 17H
LOCAL: SUBSEDE DA APEOESP GUARULHOS, SP

CONTATOS:
SUBSEDE: 2409-6374, EDERALDO: 8612-6557, RIQUEMBERG: 6325-2158; ERIC: 6165-8150


4 de abril de 2012

Carta Pública da Marcha da Maconha Diadema sobre proibição da prefeitura que atropelou decisão do STF

Após a estapafúrdia resposta que a prefeitura de Diadema encaminhou aos organizadores da Marcha da Maconha do ABC em Diadema, São Paulo, segue a resposta:


CARTA PÚBLICA DA MARCHA DA MACONHA DIADEMA AO GABINETE DO PREFEITO MÁRIO REALI : “PEDIDO NEGADO, SENHOR PREFEITO”

Diadema, 3 de abril de 2012 

Excelentíssimo Sr. Prefeito Mário Reali e seu digníssimo gabinete, 


Vimos pela presente, em atenção ao Ofício GP-97/2012 do gabinete do Ilmº Prefeito de Diadema, responder ao pedido que “sugeria” a não realização da Marcha da Maconha na cidade.

Por ter sido violado, por anos a fio, o nosso Direito Constitucional de livre manifestação do pensamento é que o valorizamos e respeitamos de sobremaneira. Assim, não nos incomoda a priori sua manifestação crítica em relação à nossa manifestação, mesmo que seus preceitos aparentemente não tenham sido perfeitamente captados.

Respeitamos a opinião do excelentíssimo mandatário, que infelizmente parece não ter conhecimento do artigo V da Constituição ou da decisão do Supremo Tribunal Federal que, no ano passado, confirmou a legalidade das Marchas da Maconha no país. No entanto, jamais poderemos acatar sua “sugestão” de não realização da Marcha da Maconha, sob argumentação de que ela não condiz com as políticas públicas de enfrentamento às drogas da gestão em curso.

Apesar de tanto empenho e gastos públicos com campanhas que tentam enxugar gelo através do enfrentamento às drogas, cumpre-nos como cidadãos alertá-lo que tal paradigma é comprovadamente ineficaz. Estudos concluem que o controle e a redução de danos constituem o método mais eficaz para tratar o consumo abusivo e combater a violência gerada pela guerra perdida, que gasta recursos públicos que poderiam ser aplicados em educação, saúde, informação, etc.

Somos um movimento social tão legítimo quanto autônomo, e satisfação alguma devemos às políticas de qualquer governo que seja. Não cabe ao poder executivo nem à Polícia Militar posicionarem-se em relação a aspectos que não só já foram debatidos e deliberados em nosso favor pela máxima corte de Justiça do país como constam também na carta magna que hierarquiza todas as leis brasileiras. Sendo assim, somente podemos responder que seu pedido será educadamente negado, senhor prefeito.

Cumpre também aproveitar o momento para lembrar às autoridades de nossa cidade por quantos percalços já passou a Marcha da Maconha, quantas barreiras foram derrubadas em prol do livre debate de ideias não mais submetido à força e à mordaça. O que não nos mata, nos fortalece, e agradecemos portanto essa nova oportunidade de demonstrar o peso de uma ideia cujo tempo já chegou.

Caso as ameaças e “pedidos” sejam deixados de lado e haja disponibilidade para o diálogo verdadeiramente democrático, colocamo-nos à disposição para organizar e participar de um debate público sobre as campanhas de “enfrentamento às drogas” defendidas pelo senhor prefeito e sobre possibilidades mais sensatas de se lidar com as drogas – lícitas e ilícitas – em âmbito local, nacional e global.

Cordial e livremente,
Marcha da Maconha ABC - Diadema


A Manchete correta seria: PM tenta barrar Marcha da Maconha
Atropelando decisão judicial a favor do movimento social...



Abaixo Assinado do INSTITUTO LUIZ CARLOS PRESTES contra o oportunismo do PCdoB

Publicando o conteúdo de um  e-mail que recebi de um camarada do PCB sobre o programa do PCdoB.

Camaradas
Por não concordar com a política mentirosa da direção do PCdoB (eternos mistificadores políticos), encaminho o abaixo-assinado encabeçado por Anita Leocádia Prestes.
O programa televisivo da última quinta-feira, estava repleto de mentiras: Luís Carlos Prestes, Mário Alves, Carlos Marighela, Jacob Gorender, Vladimir Herzog e tantos outros nunca foram do PCdoB.
 A HISTÓRIA desses HERÓIS não pode ser contada da maneira que foi, afinal ELES eram do PCB (ou Partidão, como escreveu Jacob Gorender).
Peço que assinem o manifesto e o rapassem.


AQUI UM IMPORTANTE ABAIXO-ASSINADO, DE INICIATIVA DO INSTITUTO
CULTURAL LUIZ CARLOS PRESTES, PRESIDIDO PELA PROFESSORA ANITA LEOCÁDIA
PRESTES.
SOLIDARIZAMO-NOS COM A JUSTA INICIATIVA E RECOMENDAMOS A TODOS QUE
ASSINEM, ACESSANDO O LINK ABAIXO.


DECLARAÇÃO 

O Instituto Luiz Carlos Prestes, entidade de perfil cultural, cujo objetivo é preservar e difundir a memória desse grande brasileiro - patriota, revolucionário e comunista, contando com o apoio de companheiros e amigos do Cavaleiro da Esperança, declara de público sua indignação e repulsa à atitude oportunista do PCdoB (Partido Comunista do Brasil), que vem lançando mão da manipulação grosseira da memória histórica dos comunistas brasileiros e, em particular, da trajetória revolucionária de Prestes com vistas a prestigiar-se perante a opinião pública nacional. 

Assim, em seus programas eleitorais difundidos em rede nacional pela TV, o PCdoB vem utilizando de maneira indevida e inaceitável imagens de Luiz Carlos Prestes na tentativa de associar sua atuação à frente do PCB com suposta participação na história do PCdoB. Na realidade, o PCdoB foi criado em 1962, resultando de cisão com o PCB e com Luiz Carlos Prestes, então secretário-geral deste partido. Prestes jamais ingressou no PCdoB ou lhe concedeu qualquer apoio, sendo que o PCdoB durante anos o combateu com extrema virulência. 

Um partido como o PCdoB, que apóia o novo código florestal, que é absolutamente acrítico às medidas neoliberais dos governos Lula/Dilma, imergido em denúncias de corrupção, e que ousa apresentar Prestes em seu Programa de TV é algo totalmente inaceitável. 

A direção do PCdoB manipula também, entre outras, a memória do fundador do PCB, o conhecido intelectual comunista Astrojildo Pereira, que, ao falecer em 1965, continuava militando nas fileiras do PCB. 

Nós, signatários desta DECLARAÇÃO, conclamamos companheiros e amigos, bem como todos os brasileiros sinceramente interessados na defesa da preservação da história de nosso país, a denunciar e repudiar as manobras de falsificação da trajetória histórica de Luiz Carlos Prestes, das lutas dos comunistas brasileiros e da própria história do Brasil, realizada pela direção do Partido Comunista do Brasil. 

Com esta atitude, desejamos expressar nossa posição intransigente de defesa de uma história objetiva de Luiz Carlos Prestes, dos comunistas, e do Brasil, baseada em fatos, e não em falsificações convenientes a esse ou àquele grupo político. Com esta atitude, queremos contribuir para o esclarecimento de amplos setores da opinião pública e evitar que outros se aventurem nos caminhos da falsificação de nossa história, conforme vem sendo feito pela direção do PCdoB. 


Ass. Anita Leocadia Prestes - presidente do INSTITUTO LUIZ CARLOS PRESTES, historiadora e professora da UFRJ